Como avaliar sua gestão de armazenamento de dados?

A gestão de armazenamento de dados tem cada vez mais relevância para as empresas. Hoje em dia, quem mantém os registros dispersos, por exemplo, pode ter problemas de continuidade nas operações, trazendo danos para todo o negócio.

Por conta disso, os gestores das organizações, principalmente os responsáveis pela área de TI, precisam buscar meios para avaliar a forma como os dados são armazenados na organização. Como avaliar sua gestão de armazenamento de dados? Falaremos sobre isso, a seguir!

3 pontos que devem ser considerados para avaliar a gestão de armazenamento de dados na empresa

Veja, logo abaixo, quais são os pontos que devem ser considerados ao fazer uma gestão de armazenamento de dados!

1. Demandas da empresa

Cada empresa tem necessidades específicas, mesmo que pertençam a um mesmo setor. Por isso, é comum que, em relação ao armazenamento de dados em nuvem, haja diferentes formas de utilização.

É importante que os gestores listem todos os softwares de gestão, a quantidade de dados gerados diariamente, os sites, blogs e páginas que são mantidos etc.

A ideia é que se tenha uma dimensão correta das demandas da empresa, para que se encontre a solução de armazenamento de dados em nuvem mais adequada para cada situação.

2. Disponibilidade das informações

O número de pessoas que trabalham em home office não para de crescer. Esse fenômeno foi impulsionado pela pandemia de covid-19, quando as pessoas tinham que fazer isolamento social.

Agora, mesmo com a fase mais aguda da pandemia tendo passado, as empresas seguem com o trabalho remoto, tendo em vista os benefícios que a modalidade demonstrou ter para as próprias organizações e também para os colaboradores.

Por conta disso, ao avaliar a sua gestão de armazenamento de dados em nuvem, é importante considerar se o serviço oferece uma boa disponibilidade das informações.

Isso porque os colaboradores devem ter facilidade para acessar os softwares e outros recursos que necessitam para realizar as suas tarefas, mesmo quando estiverem em casa ou em outro local, que não os escritórios da empresa.

3. Proteção de dados

Os dados das empresas precisam estar bem protegidos, tendo em vista que, em muitos casos, podem ser sigilosos. Exemplo disso são os protótipos de novos projetos, que não podem ser acessados por concorrentes antes do lançamento.

Além disso, deve-se considerar que o número de cibercrimes no Brasil é bastante alto. Ou seja, para que os hackers não roubem ou sequestram dados da sua empresa, investir em um sistema de armazenamento seguro é essencial.

Também vale lembrar que já está em vigor em nosso país, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Essa legislação multa as empresas que não derem o tratamento adequado aos dados de clientes, funcionários e fornecedores.

As multas da LGPD podem chegar a 2% do faturamento total da organização, com limite de R$ 50 milhões. Logo, é imprescindível buscar meios para evitar ser multado e ter que arcar com esse valor tão elevado.

O ideal é que o servidor em nuvem escolhido tenha soluções eficientes de firewall e backup. Além disso, precisa ter certificados de qualidade e ser criptografado, o que evita acessos de pessoas não autorizadas às informações da empresa.

Analisando esses três pontos principais, você terá bons subsídios para avaliar a gestão de armazenamento de dados na sua empresa. Por isso, não deixe de considerá-los ao escolher um serviço de cloud computing para o seu negócio.

Para que você possa continuar aperfeiçoando os processos digitais da sua empresa, recomendamos que leia agora o nosso artigo que apresenta 10 dicas sobre como proteger dados de ataques cibernéticos. Ele traz orientações importantes para que os dados da sua organização sejam mantidos em segurança.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.