Veja como é possível manter a segurança dos dados sensíveis durante e no pós-pandemia

A preocupação com a segurança de dados sensíveis é uma constante no mundo empresarial. No entanto, durante a pandemia causada pelo novo coronavírus, essa questão ficou ainda mais latente.

Isso porque muitas organizações adotaram o trabalho remoto como forma de dar continuidade às suas atividades sem comprometer a saúde de seus colaboradores.

Nesse cenário, com os funcionários fora da infraestrutura física da empresa e, em muitos casos, utilizando seus equipamentos pessoais, muitos gerentes de TI estão se debruçando sobre possíveis soluções que possam garantir a segurança da informação dentro dessas condições.

Porém, essa não deve ser uma preocupação apenas para o período que perdurar o isolamento social. Um levantamento feito pelo ReimagineHR, do Gartner, aponta que até 2030 haverá um crescimento de 30% da demanda por trabalho remoto.

Logo, as empresas precisam moldar seus ambientes desde já para que essa mudança ocorra de forma fluída e, acima de tudo, segura e assertiva.

A seguir, você irá conhecer algumas dicas de como manter a segurança de dados sensíveis da organização durante e no pós-pandemia. Confira!

1.Conscientização dos colaboradores

Não é novidade que o usuário é o elo mais fraco em um sistema de segurança da informação. Mesmo soluções altamente eficazes podem não ser suficientes para proteger os dados sensíveis, caso os colaboradores apresentem comportamento inapropriado.

Logo, o passo mais básico para proteger os dados empresariais é a conscientização de toda sua equipe.

Isso envolve uma série de fatores, tais como cuidados com a proteção da senha, treinamento sobre as principais ameaças às quais eles estão sujeitos e as perdas que um vazamento de dados pode acarretar à empresa, etc.

Principalmente, é preciso alertá-los sobre os comportamentos e boas práticas que devem ser evitados e o que deve ser feito, quando eles suspeitarem que estão diante de uma ameaça.

Com esse conhecimento, seus colaboradores podem agir de forma mais consciente e contribuir para um ambiente mais seguro.

2.Utilização de VPN

Embora, sozinha, não seja suficiente para garantir a segurança dos dados sensíveis, a VPN é uma ferramenta muito importante e deve ser utilizada concomitante com outras soluções.

Ela garante o tráfego seguro entre os endpoints e o servidores, que, preferencialmente, devem estar hospedados na nuvem, pelas razões mencionadas anteriormente.

Vale lembrar que nem toda solução de VPN pode ser considerada segura. Muitas versões gratuitas, além de não proteger o tráfego adequadamente, acessam informações sigilosas indiscriminadamente.

3.Adoção de um workspace centralizado

Migrar todas as soluções On-Premise para a nuvem pode não ser uma solução viável para a sua empresa. De fato, é quase impossível realizar esse processo sem interromper as atividades, o que não vai de encontro com o objetivo da adoção do trabalho remoto durante a pandemia.

Além disso, uma migração repentina pode atrapalhar o rendimento dos colaboradores, uma vez que, geralmente, há alteração no fluxo de trabalho, layout e funcionalidades das ferramentas.

Portanto, a solução mais eficaz consiste na virtualização de desktops (VDI) dos colaboradores e armazenagem de suas imagens em servidores na nuvem.

O ideal é utilizar um workspace capaz de reunir tanto os aplicativos SaaS quanto On-Premises. Ou seja, você passa a contar com uma solução  híbrida, muito mais segura e eficaz, que oferece os benefícios da nuvem, sem abrir mão da comodidade de suas aplicações tradicionais.

Dentre as vantagens dessa estratégia podemos citar:

  • Garantia de atualização frequente: as empresas precisam estar preparadas para lidar com ameaças cada vez mais sofisticadas. Isso requer atualização constante e adoção de métodos e ferramentas eficazes contra os novos tipos de ataques que vão surgindo.

Ao centralizar seu workspace na nuvem, você passa a contar com a proteção do seu provedor SaaS, que deve se encarregar de utilizar todos os meios necessários para manter seus dados sensíveis protegidos.

  • Política de acesso contínuo: uma solução eficaz em nuvem permite a implementação de acesso condicional. Ou seja, o acesso é permitido com base em padrões de acesso do usuário final.

Isso significa que o sistema monitora informações como localização do usuário, os aplicativos geralmente utilizados, alteração nas configurações do dispositivo, etc. Caso sejam identificadas anormalidades, o usuário fica impedido de acessar documentos e aplicações até que sua identidade seja confirmada por um administrador;

  • Acesso simples e seguro: uma vez que todos os seus aplicativos se encontram no mesmo “ambiente”, é possível implementar um logon único sem que isso comprometa a segurança dos dados sensíveis. Essa alternativa melhora a experiência do usuário, pois elimina a necessidade de criação de várias senhas.
  • Controle de acesso unificado: com todas as aplicações rodando em um workspace na nuvem, fica mais fácil implementar políticas de segurança e controlar o acesso dos usuários.
  • Facilidade de implementação do modelo Zero Trust: um workspace centralizado permite a combinar a segurança intrínseca a dispositivos, usuários e aplicativos.

Como você pode ver, o alto nível de segurança, gerenciamento, acesso e conveniência permite que seus colaboradores possam acessar suas aplicações e dados sensíveis, a partir de qualquer lugar, de forma simples e sem comprometer a segurança corporativa.

Agora que você já sabe como manter os dados sensíveis de sua corporação durante e no pós-pandemia, aproveite para saber o que é dívida de segurança e porque você deve prestar atenção! E, caso tenha ficado alguma dúvida sobre como manter segurança dos dados sensíveis durante e no pós-pandemia , entre em contato agora mesmo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *