Internet das Coisas: quais são os desafios para a segurança da informação

Um incidente que expõe dados importantes de sua empresa e clientes pode ser fatal para a reputação de sua marca, afetar drasticamente a carteira de clientes e arruinar o futuro do seu negócio. Em tempos de alta conectividade, todo cuidado é pouco quando o assunto é proteger suas informações e as de parceiros.

Monitoramento, manutenção e updates de segurança constantes por parte das desenvolvedoras de software é uma ação proativa no sentido de assegurar a invulnerabilidade de informação estratégica.

Desde o surgimento da Internet das Coisas, medidas cautelares mais incisivas se tornaram necessárias a fim de que sua empresa possa se beneficiar da tecnologia sem colocar em risco suas operações.

Para compreender melhor os desafios de segurança e como salvar seus dados na era da Internet das Coisas precisamos, antes de tudo, conhecê-los.

Internet das Coisas: da inovação à preocupação com segurança

Em seus primórdios, inovação era o aspecto mais importante da Internet das Coisas. É fácil entender o motivo: todas as empresas estavam engajadas em criar hardware e software capazes de serem operados a distância, utilizando para isso a internet. Embora as origens da IoT advenham da comodidade, da simplicidade e da necessidade de automação, ela ainda anda a passos curtos.

E o principal motivo para isto são as preocupações com segurança. Segundo o MEF Global Consumer Trust Report, 60% dos usuários demonstram receio ao lidar com este tipo de tecnologia e o principal motivo é privacidade. A pesquisa, encomendada pela Avast entrevistou usuários em diversas partes do mundo, inclusive no Brasil. Mas quais são as reais ameaças à segurança que a Internet das Coisas oferece?

A Vulnerabilidade das Coisas

Conectada a dispositivos de toda natureza, desde lâmpadas em ambientes domésticos a instrumentos médicos de alta precisão, a Internet das Coisas precisa se afirmar quando o assunto é segurança.

Quando estamos conectados em múltiplos dispositivos, compartilhamos informação através deles e muitas vezes a simples perda de um telefone pode colocar em risco informações privilegiadas. A IoT adiciona novas preocupações a essa lista, criando ameaças em potencial quando não apropriadamente configurada.

Antes de adotar a IoT em seu negócio, é preciso avaliar que tipo de dado pode ou não trafegar por estes dispositivos e, no caso de inevitabilidade, reforçar junto ao time de TI a necessidade de ampliar os esforços de defesa.

Reforço de TI para uma operação de maior segurança

O grande desafio ainda é lidar com ataques mal intencionados. Com a Internet das Coisas, surgiu um novo mercado para este tipo de agente malicioso, que pode lucrar bastante com a venda de informações ou com a inutilização de seus equipamentos. Um ecossistema de segurança, com padrões bem definidos, protocolos, criptografia e senhas fortes deve ser prioridade de sua equipe de TI na adoção dessa tecnologia.

Um dos principais erros aqui é utilizar as configurações automáticas do dispositivo ou não seguir corretamente as instruções para alterar os padrões do sistema ao padrão de qualidade exigido para manutenção de sua segurança.

Ações preventivas, investimento em conexões seguras e a mera consciência das vulnerabilidades ainda existentes nessa tecnologia são boas formas de começar. A abordagem reativa e o controle de danos posterior a um ataque custa muito mais caro que estabelecer normas e definir formas eficientes de proteger seus dispositivos.

Agora que você já sabe quais são as principais afrontas à segurança dos seus dados na Internet das Coisas, é possível se beneficiar dessas tecnologias sem receio. Já possui dispositivos dependentes da IoT para funcionar? Como sua empresa se protege neste sentido? Não deixe de compartilhar sua experiência conosco nos comentários!

No comments yet.

Leave a comment

Your email address will not be published.